AA Autora

Leila KrugerLeila Krüger nasceu na geração dos anos 1980 em Ijuí, a Colmeia do Trabalho, a noroeste do Rio Grande do Sul, em uma família de descendentes de imigrantes alemães, tchecos e russos. É Mestre em Comunicação Social pela PUCRS.

Seu primeiro livro foi o romance Reencontro, lançado em novembro de 2011. Em 2016, a obra foi publicada nos Estados Unidos como The Encounter. Em 2012, lançou o livro de poemas A queda da Bastilha, e em 2014, o de contos Coração em chamas.

A autora escreve em todos os gêneros literários. Tem poemas, crônicas e contos publicados em jornais, revistas e antologias. Recebeu prêmios no Brasil em concursos nas categorias Poesia, Crônica e Conto.


Facebook
Instagram
Twitter
Wattpad

Conheça um pouco mais sobre a Leila: 

Livros de cabeceira: As sandálias do pescador (Morris West), A cabana (William Young), O velho e o mar (Hemingway), O alquimista (Paulo Coelho), Bíblia Sagrada.

Escritores preferidos: Agatha Christie, Nora Roberts, Rick Riordan, R. R. Martin, Hemingway, Wilde, Paulo Coelho, Clarice Lispector, Adélia Prado, Mário Quintana.

Comida: Lasanha e massas em geral, frango, costela de gado assada, salmão ao molho de mostarda do meu pai, atum, coxinha, pizza, massa folheada, brigadeiro de panela.

Religião: Para mim, não serve. Só Jesus.

Cor: Verde e azul. As cores do mar.

Eu amo: Cachorros, gatos, bebês, piscina, praia, pôr do sol, um bom livro que me tire da realidade, massas, Coca-Cola, massa folheada, o mar, a chuva, História, Grêmio, futebol, justiça, abraços, sorrisos verdadeiros, coisas góticas e medievais, Deus.

Eu detesto: Baratas e bichos voadores, borboletas (tenho medo), quase todas as saladas, pessoas invejosas, superficiais e moralistas.

Seriados: The Vampire Diaries, The Preacher, Friends, Everybody Loves Raymond, Eu, a patroa e as crianças, Vai que cola.

Hobbies: Ler, escrever, assistir a seriados, assistir a vídeos no YouTube, comer, dormir.

Admiro: Humildade, sinceridade e força de vontade. Autocontrole também é uma qualidade admirável.

Uma personalidade do Brasil: Paulo Coelho, Adélia Prado, Danilo Gentili, Flávio Augusto, Gisele Bündchen.

Uma personalidade de fora do Brasil: Oprah Winfrey, exemplo de superação. Obama.

Viagem de férias para onde? América Central: Bahamas ou algo assim. França, Itália e Grécia. República Tcheca. Búzios. Praias do Nordeste.

Uma frase: “Os impossíveis dos homens são os possíveis de Deus” (Bíblia Sagrada);
“Através de meus graves erros — que um dia eu talvez os possa mencionar sem me vangloriar deles — é que cheguei a poder amar.” (Clarice Lispector);
“Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada.” (Clarice Lispector).

Se o mundo acabasse amanhã, eu... Faria como todos os dias, tentaria viver como se fosse o último. Mas também iria para a Grécia, terminar tudo na ilha de Rhodes olhando o mar com um bom drinque.

O Brasil? O povo mais peculiar do mundo, alegre, brincalhão e colorido em meio a tanta miséria. Pena que tão pouca gente aqui leia livros, que haja tanta futilidade e tanta desonestidade. Nós não sabemos extrair todas as riquezas do nosso paradisíaco país. Os políticos não se importam com o povo e roubam descaradamente, como uma tradição. O país tá com muitos problemas, mas temos que ter esperança no futuro e construí-lo, mesmo com a tristeza e a incerteza.

Uma lembrança: Férias com a família no litoral de Santa Catarina.

Quero esquecer: As escolhas erradas que fiz, por carência, medo e falta de amor-próprio. E tudo o que não me faz feliz nem é útil.

Eu aprendi que... Viver é uma sucessão de recomeços, exige paciência e persistência. E que parar de sonhar é deixar de viver, essa é a morte em vida de milhares de pessoas. E aprendi que você não pode ser bonzinho demais, mas dar valor a quem se mostra merecedor e te valoriza.